Crítica: Capitã Marvel

Marvel poderia ser melhor viu!


Por: Diones Santana
Capitã Marvel é o final da fase três da Marvel é a apresentação da última vingadora. Durante muitos anos a Marvel guardou a sete chaves esse filme. Ninguém sabia como e quando ele ia acontecer, afinal é uma das heroínas mais fortes dos quadrinhos. Filme só foi anunciando em 2014. Brie Larson atriz ganhadora do Oscar pelo filme O Quarto de Jack (2016) foi a escolhida para interpretar a heroína. Com o primeiro trailer lançado uma chuva de críticas foram lançadas contra Larson, por suas poucas expressões faciais no trailer o que preocupou muita gente na época. Agora em 2019 o filme chega as telonas em definitivo e aqui vai minha análise sobre ele.
No filme Carol Davers (Brie Larson) é uma ex-agente da força aérea norte-americana. Aonde sem se lembrar de sua vida na terra, é recrutada pelos Kree, para fazer parte da elite do exército deles. O que a torna uma inimiga dos Skrulls. Davers acaba retornando à terra para impedir o ataque dos metamorfos, e ao fazer isso ela descobre verdades sobre seu passado que havia esquecido. Com ajuda de Nick Fury seu passado que é esquecido começa a ser recordado. O filme é contado de uma forma diferente, não utilizando a fórmula Marvel de criar um herói, em vez de ter uma linha reta com as fases da heroína o roteiro segue outra totalmente mudada baseada em flashbacks.
O longa impressiona com um CGI impecável no Nick Fury (Samuel L. Jackson), mas já ao para resto do filme parece muitas vezes que economizaram até demais e fica longe das qualidades Marvel de produção. Falando agora da história o filme erra muito, é muito arrastado ao tentar trazer sobre as origens da heroína, se gasta muito tempo contando isso e acaba estragando bastante a experiência. Isso acaba piorando para o restante das cenas com uma história muito fraca e ruim. Mais uma vez um vilão fraco é apresentado. O que salva são as cenas com Samuel L. Jackson que são cômicas e mostra como Brie Larson adorou atuar com ele.
Para um filme de introdução de uma heroína é ótimo, realmente ela vai ajudar muito os vingadores, pois, é muito forte tão forte que várias cenas dão para ver como ela é forte, porém, erraram em não mostrar mais cenas para apresentar todo esse poder, igual vê no filme da mulher maravilha na qual você a vê pegando um tanque de guerra e o quanto ela é forte. Nesse filme isso não acontece. Uma linda mensagem para as mulheres é passada, e ninguém melhor que Larson para isso. Não é um filme ruim, mas está longe se ser o melhor.

Obs. Existem 2 cenas pós créditos

Nota: 7,5

É um filme de apresentação de herói e não passa disso.

                                                     Veja o Trailer


Compartilhe no G+

Sobre: Diones Santana

Após ter entrado para a escola de magia e bruxaria de Hogwarts, ter vivido longos anos na terra média ao lado de Hobbits, conheci o filho de Jor-El ainda quando ele era Clark Kente ter entrado em um fliperama para conhecer Tron! Hoje estou aqui compartilhando minhas paixões com vocês, porém me acompanhe para que eu não caia na zona fantasma.

    Comente
    Comente com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário