Critica: Cidades de papel

Até onde você iria pelo seu amor?


Que os livros de John Green é um sucesso isso é certeza! Mas e suas adaptações para cinema? A culpa e das estrelas é um livro sucesso em vendas em todo mundo, com a história de “Hazel Grace”, uma menina com câncer que lutava para viver por causa de seu câncer e acaba conhecendo o grande amor de sua vida, “Augustus Waters” História linda e encantadora leia mais aqui, em seus livros John sempre trata o amor juvenil e mais uma vez ele acerta em cheio em “cidades de papel”.

Conhecemos Quentin Jacobsen (Nat Wolff), uma criança que logo cedo começa um amor por sua recém-vizinha Margo Roth Spiegelman (Cara Delevingne) Jacob como é chamado pelos seus amigos e conhecidos cresce ao lado de margo e vive as travessuras e loucuras infantis, em um belo dia ele se recusa a sair com ela para suas “investigações” que para sua tristeza ela não o chamará mais no futuro. Os anos se passam e margo fica espetacularmente linda! Afinal estamos falando da beleza de Cara Delevingne, o amor de Jacob por margo a cada dia se distância ao passar dos anos e ele acaba vivendo seu mundinho com seus amigos focando nos estudos.
Ele acaba aceitando sua vida normal e rotineira que vive ao passar do tempo tentando esquecer de uma vez sua amada, até que em um dia margo aparece em sua janela e o leva para fazer nove missões em uma noite se vingando se seu ex-namorado, ele passa seus melhores momentos de toda sua vida ao lado de sua amada aonde ele o admira a cada momento, no dia seguinte margo some e vira uma incógnita deixando pistas, que Jacob tentara desvendar para aonde foi sua amada.
Filme demonstra que as aparências enganam e que uma paixão platônica e viciosa pode se surpreender, e que o amadurecimento de um jovem se define de suas decisões, e que os amigos é a fonte de novas energias, filme que surpreende mesmo sendo com uma leve passagem rápida aonde comprova que John Green pode surpreender e ainda trazer mais belas histórias.

Nota: 7,5

Compartilhe no G+

Sobre: Diones Santana

Após ter entrado para a escola de magia e bruxaria de Hogwarts, ter vivido longos anos na terra média ao lado de Hobbits, conheci o filho de Jor-El ainda quando ele era Clark Kente ter entrado em um fliperama para conhecer Tron! Hoje estou aqui compartilhando minhas paixões com vocês, porém me acompanhe para que eu não caia na zona fantasma.

    Comente
    Comente com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário