Crítica: O Exterminador do Futuro: Gênesis

A viagem dos mundos perdidos.


Filmes remake está se tornando normal, atualmente trazer de volta para o cinema filmes consagrados de décadas passadas é o que tem mais acontecido, após o retorno de Jurassic Park, Star Wars etc., quem retorna e a franquia exterminador do futuro trazendo de volta seu astro principal Arnold Schwarzenegger como T-800, após uma tentativa frustrada de tirar o ator no filme anterior e sem muito sucesso O Exterminador do Futuro - A Salvação.

Voltamos para o passado do futuro sim! em uma tentativa de explicar para o público o que é as maquinas um exterminador Sarah Connor, John Connor etc., vários tropeços ocorre, entende-se que por se tratar de um filme remake tem o mal de homenagear os filmes anteriores trazendo algo que o referência, porém em O Exterminador do Futuro: Gênesis exageram demais e passa de homenagem para um mal súbito de cenas repetidas, cenas como a chegada de T-800 e a briga com um dos mais diabólicos exterminadores o famosos e cheio de alumínio T-1000 acaba sendo repetida enchendo de linguiça o filme e o prolongando, mas é compreensível afinal muitos não conhece a história e muitos outros são apenas simpatizantes.


Aqui vemos John Connor já comandando a elite matando muitas máquinas e sendo um verdadeiro guerreiro, a história precisa ser reescrita e ele tem que enviar (Kyle Reese) que salvará sua mãe das mãos do T-800 Arnold Schwarzenegger como já é conhecido da história, filme é bem mediado e sem muita novidade, o uso de grandes atores ajudou porém não mudou nem inovou, temos uma ótima atuação de Emilia Clarke  que mais uma vez demonstrou que não se prende a Daenerys de Game of Thrones, mas Jai Courtney  não se pode dizer o mesmo atuação bem apagada não mostrou ou chegou perto de como atuou na saga Divergente.

O destaque é de Arnold que mesmo não tendo um papel principal e de não estar em todas as cenas acaba ajudando deixar um filme que é mediano ficar bom, com cenas bem cômicas e cheio de piadas por parte Schwarzenegger, o que acaba deixando o filme bem engraçado, falar das cenas de ação e de suspense acaba decepcionando, os efeitos especiais e cenas praticamente impossíveis explosões para todo lado não agrada muito.


É importante o retorno de franquias de sucesso, porém o que se mais observa são roteiros mal feitos e efeitos especiais além dos limites, esperamos quem nos próximos remakes diminua, porém pouco provável pelo motivo que os roteiristas querem impressionar.

Nota: 6,5


Compartilhe no G+

Sobre: Diones Santana

Após ter entrado para a escola de magia e bruxaria de Hogwarts, ter vivido longos anos na terra média ao lado de Hobbits, conheci o filho de Jor-El ainda quando ele era Clark Kente ter entrado em um fliperama para conhecer Tron! Hoje estou aqui compartilhando minhas paixões com vocês, porém me acompanhe para que eu não caia na zona fantasma.

    Comente
    Comente com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário