O Dragão que tomou um banho de ouro. O Hobbit: A Desolação de Smaug – Crítica.

Criticado Por Danival Brum. veja o que ele achou

Por: Danival Brum
Depois das tradicionais quase três horas de filme que qualquer película da saga O Senhor dos Anéis proporciona, voltei para o hotel pensando como expurgar minha opinião sobre o filme.

O que falar logo de início? A qualidade visual do filme? Sua fotografia incrível? A trilha sonora marcante? ... Enfim, o que marca os filmes desta saga em questão sempre é o enredo lento, que leva tempo demais pra chegar no objetivo. Não é de se culpar. Afinal, estamos falando de um filme que foi tirado de um Best Seller mundial.

Mas as perguntas que sempre nos afligem é sobre a dinâmica do filme em comparação ao livro e, comparações a parte, A DESOLAÇÃO DE SMAUG é o típico filme do meio de uma trilogia: tem um enredo mais lento que o de costume, afinal, é o filme que liga o começo da história com o que vai levar ao fim da saga e portanto, tende a ser chato e até maçante. Só que desta vez o “filme do meio” me pegou de surpresa.
A DESOLAÇÃO DE SMAUG consegue ser um filme muito bom e melhor que o primeiro desta trilogia. Peter Jackson, diretor do filme conseguiu tirar aquela tomada infantil que o primeiro filme tinha e ainda o deixou mais denso, rápido e com cenas de ação maravilhosas (vide fuga do reino dos elfos e luta com o dragão). As cenas que tem o dragão são de tirar suspiros empolgados da plateia e, recomenda-se assistir em um bom cinema com a imagem em 3d... sério, vale a pena!!!
"Fala de Danival" Um filme que dispensa elogios na parte visual, pois a fotografia, maquiagem e efeitos especiais são de tirar o fôlego. Não dá para tirar os olhos da telona nas últimas cenas do filme.O Hobbit: A Desolação de Smaug está com devidos méritos recomendado, porém, tem que ter assistido ao primeiro da trilogia, pra poder entender.

Crítica: Danival Brum.



Compartilhe no G+

Sobre: Diones Santana

    Comente
    Comente com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário